Casas inteligentes atraem cada vez mais clientes no mercado capixaba

  • As residências hi-tech oferecem conforto e tecnologia aliados. Mercado é dinâmico. Atendemos classes A, B e até a C”, diz empresário.

As residências “inteligentes” têm conquistado cada vez mais os clientes no mercado imobiliário. Graças à automação residencial, as casas hi-tech, como também são chamadas, oferecem conforto e tecnologia aliados. O toque aconchegante fica por conta da decoração, que vai de rústica à moderna, dependendo do gosto do cliente.

Automação residencial oferece tecnologia com toques de sofisticação. (Foto: Divulgação / Studio Design)

Segundo o empresário do ramo Adalberto Lopes, o mercado de automação é aquecido e cresce cada vez mais. “A procura é grande, o mercado é dinâmico. Hoje em dia, atendemos classes A, B e até a C, que já tem um bom poderio de compra. Há equipamentos para todos os tipos de gostos”, afirma

Controle abre cortina, acende a luz e acessa a TV.
(Foto: Darshany Loyola/G1 ES)

As opções para quem deseja ter uma casa hi-tech são várias. Vão desde um elaborado home theater à uma fechadura biométrica, que o cliente, com um toque, é reconhecido. Com este aplicativo, ao entrar em casa, a luz acende e o som começa a tocar a música de sua preferência, além de desejar bom dia dizendo o nome da pessoa.

Há projetos também em que as pessoas se programam para acordar no dia seguinte com uma música, ao mesmo tempo em que as cortinas se abrem. “As pessoas já acordam com a música de sua preferência, na hora que quiser”, diz Lopes.

E não para por aí. Um dos inúmeros recursos é um equipamento que funciona como um mapa da casa, que é instalado ao lado da cama. Nele, o morador pode conferir antes de dormir se tem algum aparelho ligado ou algum cômodo da casa com a luz acesa. Há um outro que é usado para quando se sai de casa. “É um botão que, quando você sai, desliga tudo o que ficou ligado na casa”, conta o empresário.

Os desejos dos clientes também são os mais variados. “Tem gente que possui painéis eletrônicos de 17 polegadas que mostram imagens captadas por câmeras viradas para a praia, em tempo real. A pessoa pode ter um descanso de tela com imagens da praia em tempo real”, explica.

E quem acha que o empresário apenas automatiza a casa dos outros, está muito enganado. Adalberto Lopes também tem sua própria casa hi-tech. Um dos equipamentos mais simples da sua casa é o Nuvu, um aparelho que funciona como um controle de som em diferentes lugares da casa. “Da cozinha, você pode controlar o som na sala. Da varanda e dos outros cômodos é a mesma coisa. Você não precisa mais se locomover para trocar a música. Quando tem uma festa, é possível fazer a música tocar em todos os cômodos da residência”, conta.

Além disso, Lopes tem um controle que, ao mesmo tempo em que controla todos os aparelhos eletrônicos, acende a luz e também abre as cortinas. Como mágica mesmo! “À medida em que fui conhecendo a tecnologia ao realizar projetos para outras pessoas, fui fazendo fazendo para mim também”, diz.

Cuidados

“As pessoas que compram precisam ter cuidado, porque pouca gente entende de automação residencial. É muito fácil iludir e vender um produto ruim para quem não conhece direito”, afirma. Então, na hora da compra é preciso sempre perguntar de onde vem os produtos que serão instalados e pedir nota fiscal de tudo. Além disso, o preço já indica se o produto é falsificado ou não. “Se você compra um produto de R$ 5 mil por R$ 2 mil, deve desconfiar, pois pode ser proveniente de contrabando”, completa Lopes.

Fonte: G1

Postagens relacionadas
Leave a reply